Dia 5 – Deus Protege os Justos e os Salva

Imagem
 
Genêsis, 18:32
Disse ainda Abraão: Ora, não se ire o Senhor, pois só mais esta vez falarei. Se porventura se acharem ali dez? Ainda assentiu o Senhor: Por causa dos dez não a destruirei.
 
Os anjos vieram à Terra afim de exterminarem Sodoma. Sabiam que ali os pecadores imperavam em plena anarquia e nada os destinha. No caminho encontraram as tendas de Abraão e ele os alimentou.
 
Abraão, fruto de sua eterna entrega a Deus e, principalmente, em seu fundo de justiça, clamou para que a cidade fosse salva em função dos justos. Perguntou se por acaso eles encontrassem cinquenta justos poupariam a cidade, quarenta e cinco, até chegar a vinte, e disseram que poupariam se encontrassem os justos. 
 
Na cidade, foram recebidos pela família de Ló que os tratou com dignidade e até mesmo colocou-se à frente para que não fossem atacados pela turba de pecadores que queriam matá-los. Os anjos, então, disseram para Ló, sua esposa e filhas saírem da cidade pois a destruíram com uma chuva de enxofre. 
 
Deus, em sua infinita sabedoria, preserva sempre o justo. Ele sabe de tudo, mas ainda assim dá a chance para ouvir os homens e tentar conciliar a sua justiça com aquilo que o homem entende como justo, e assim aceitou a sugestão de Abraão e poupou Ló e sua família. Sua esposa que não acreditou piamente, olhou para trás e tornou-se sal, mas a geração de Ló foi mantida e seguiu em frente salvando-se do pecado. 
 
Não é fácil não ceder a tentação de olhar para trás, mas ser justo não é fácil. Seguir o caminho da retidão e manter os olhos fixos, eis o desafio que Deus nos dá para seguirmos na nossa vida. Vencermos as tentações que o pecado de não ser justo nos dá e percebermos que o melhor caminho é deixar as muralhas dos ímpios. 
 
Interessante que nessa passagem os anjos não procuraram Ló, mas foram procurados por ele. Além disso, não o mandaram sair, mas disseram que o preservariam se saísse. Ora, Deus é poderoso e sabia que Ló era justo, e tinha o poder para tirá-lo de lá contra a sua vontade. Apesar disso, sugeriram e o coração dele seguiu o caminho que deveria seguir. Seus pés fincaram-se nas pedras certas para cruzar o rio. 
 
O ensinamento não é aquele que nos é forçado, mas sim aquele que nos conduz, em nossa vontade, aonde Deus nos espera. Sejamos como Abraão que roga pela proteção dos justos, e sejamos justos como Ló para deixarmos as muralhas que cercam a iniquidade. 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s